Postos de saúde terão quase 1 milhão de preservativos gratuitos para o carnaval no Sul de MG

Quase 1 milhão de preservativos estarão disponíveis gratuitamente em todo o Sul de Minas para quem quiser curtir o carnaval com segurança e livre de doenças sexualmente transmissíveis. Os preservativos estarão disponíveis gratuitamente nos postos de saúde e serão distribuídos através de campanhas específicas em cada cidade.

No Sul de Minas, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, serão 872.720 preservativos distribuídos para as quatro gerências regionais de saúde que cobrem a região. Em todo o estado, conforme a secretaria, estão sendo distribuídos 7 milhões de unidades de preservativos masculinos durante o período de carnaval.

Quantidade de preservativos distribuídos nas regionais de saúde:

  • Pouso Alegre – 53 municípios – 405.504 preservativos
  • Varginha – 51 municípios – 249.984 mil unidades
  • Passos – 24 municípios – 137.232 unidades
  • Alfenas – 26 municípios – 80 mil preservativos

Importância do preservativo

A camisinha é o melhor método de prevenção não somente para o vírus HIV, mas também para outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Segundo o médico ginecologista Ob Tavares, é preciso que as pessoas fiquem atentas na hora do ato sexual e de forma nenhuma se descuidem.

“A primeira dica e mais importante é que se a pessoa tiver contato com alguém desconhecido, se for com um namorado e tal, é uma coisa, mas se encontrar alguém na rua e vai ter um contato com essa pessoa, ela não deu uma garantia que não tem nenhum problema, então o único recurso que ela tem é exigir o uso da camisinha. Se recusar de todo modo a fazer a relação sexual sem a camisinha, mesmo que o outro fale que não vai terminar a relação dentro dela e tudo isso. Nessas horas a pessoa pode perder o controle, já estão alcoolizadas e, além das DSTs, pode gerar uma gravidez indesejada também”, diz o médico.

“Leve com você preservativo, não importa se é homem ou mulher. Porque se o outro não tiver, você tem para compartir e proteger um ao outro, porque quem está levando a camisinha se garante que não vai ter e garante que não vai passar”

Segundo o ginecologista, a Aids e a sífilis são as doenças mais perigosas que podem ser transmitidas através do contato sexual. Mas outras como a gonorreia, candidíase, vaginose bacteriana também podem ser transmitidas pela falta do uso do preservativo.

O médico lembra que, apesar de ser o método mais indicado, o preservativo não garante que a pessoa esteja totalmente segura, já que ele pode se romper.

“Se romper a pessoa deve procurar um médico o mais rápido possível, porque existe a anticoncepção de emergência e o médico vai avaliar, às vezes até colhendo material na hora para ver se tem algum contágio de alguma doença para ele executar o tratamento dessa pessoa às vezes no mesmo dia”, conclui o ginecologista.

Crétidos: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.