Dívida do governo de Minas Gerais com municípios do Sul de Minas chega a R$ 630 milhões

A dívida do governo do Estado com os municípios do Sul de Minas já passa de meio bilhão de reais. Segundo levantamento feito pelo G1 junto às prefeituras e à Associação Mineira dos Municípios (AMM), hoje o governo deve R$ 630,5 milhões para os 26 maiores municípios da região. O governador Romeu Zema (Novo) anunciou no dia 24 de janeiro, durante visita a Varginha (MG), que o Estado deve normalizar o repasse para os municípios no início de fevereiro.

Conforme o levantamento feito pelo G1, Pouso Alegre é hoje a cidade que tem mais recursos em atraso por parte do governo: R$ 92,6 milhões. Logo depois aparecem Poços de Caldas (R$ 88,8 milhões), Varginha (R$ 62,3 milhões), PASSOS (R$ 48,7 milhões), Extrema (R$ 43,9 milhões) e Itajubá (R$ 38,5 milhões).

De toda a dívida, a maior parte, 47,8%, é referente a verbas atrasadas da Saúde. Já outros 25,9% são referentes a recursos do Fundo Básico da Educação (Fundeb) e 17,8% representam repasses em atraso do ICMS.

A maior parte da dívida do governo com os municípios da região é referente a verbas atrasadas da Saúde. Só esse montante é de R$ 301,4 milhões em atraso para os 26 maiores municípios da região, o que representa 47,8% da dívida total.

Poços de Caldas é a cidade da região que tem mais a receber do estado em verbas da Saúde: R$ 51,9 milhões. Mas outros municípios como Pouso Alegre (R$ 41,4 milhões), Passos (R$ 38,8 milhões), Varginha (R$ 34,2 milhões) e Itajubá (R$ 20,9 milhões) aparecem em seguida na lista de credores.

Já em relação ao Fundeb, que é o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica, Poços de Caldas mais uma vez aparece como o município que tem mais a receber: R$ 22,8 milhões. Em seguida, aparecem Pouso Alegre (R$ 19,9 milhões), Varginha (R$ 12,5 milhões), Itajubá (R$ 9,2 milhões) e Extrema (R$ 9,1 milhões).

Crétidos: G1 Sul de Minas

Foto: Ascom / Prefeitura de Pouso Alegre


Em Cabo Verde:

Por:Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.